Buscar

Arraial do Cabo promove testes rápidos de diagnósticos da Aids


O município Arraial do Cabo foi o que ficou com a maior média das taxas de incidência na região da Baixada Litorânea (9,36/1.000 nascidos vivos), seguido por Saquarema (8,55/1.000 nascidos vivos) , segundo BoletimEpidemiologico RJ



A AIDS é causada pelo vírus HIV, que interfere na capacidade do organismo de combater infecções. O vírus pode ser transmitido pelo contato com sangue, sêmen ou fluidos vaginais infectados. Não existe cura para a AIDS, mas uma adesão estrita aos regimes antirretrovirais pode retardar significativamente o progresso da doença, bem como prevenir infecções secundárias e complicações.


O município Arraial do Cabo foi o que ficou com a maior média das taxas de incidência na região da Baixada Litorânea (9,36/1.000 nascidos vivos), seguido por Saquarema (8,55/1.000 nascidos vivos) e Iguaba Já o município Casemiro de Abreu foi o que ficou com a menor média das taxas de incidência na região (1,12/1.000 nascidos vivos).


O tratamento para a infecção pelo vírus HIV é feito por meio de medicamentos antirretrovirais que impedem a multiplicação do vírus no organismo, ajudando a combater a doença e a fortalecer o sistema imunológico, apesar de não serem capazes de eliminar o vírus do organismo. Esses medicamentos são fornecidos gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) independente da carga viral que a pessoa possui, só sendo necessário apenas que a recolha do medicamento seja feita com a prescrição médica.

Já existem muitos estudos com o objetivo de descobrir a cura da infecção pelo HIV, no entanto ainda não existem resultados conclusivos. No entanto, é importante seguir o tratamento indicado para que seja possível diminuir a carga viral e aumentar a qualidade de vida da pessoa, além de também diminuir o risco do desenvolvimento de doenças que muitas vezes estão relacionadas com a AIDS, com tuberculose, pneumonia e criptosporidiose.


FONTE:

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO \\ SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL








0 comentário